Aproveitamento integral dos alimentos: uma ideia para melhorar seus hábitos alimentares e também ajudar o mundo!

União e pé na estrada. É assim que o programa “Alimente-se Bem” do SESI reforça parcerias, atrai público universitário e leva nutrição saudável aos bairros carentes. Programa de educação nutricional criado para difundir o conceito do aproveitamento integral dos alimentos aos trabalhadores da indústria, sua família e à comunidade em geral, faz sucesso desde 1999.

Em uma parceria firmada desde 2004 entre o SESI, a prefeitura municipal e o Instituto de Biociências da UNESP (Universidade Estadual Paulista), campus de Botucatu, os estudantes de nutrição “pulam” os muros da universidade para tornarem-se multiplicadores do programa.

imagem 171 (2)As aulas são ministradas em um lindo ônibus-escola que faz o maior sucesso na cidade. Todos querem participar, pois sabem que sairão dali com grandes experiências: os alunos de nutrição aprendem a lidar com as dúvidas e necessidades reais da comunidade, e os participantes aprendem a preparar uma alimentação saudável à base do aproveitamento integral dos alimentos e de um pouco de amor pelos alimentos, pela cozinha e pelo seu bolso, é claro.

 Eu tive o grande prazer de participar desse programa, primeiro como aluna e depois como multiplicadora. Hoje, mais que em qualquer momento daqueles agradáveis dias, percebo a importância do meu trabalho para o meu crescimento e para as pessoas que pude ensinar. Ao final do curso, até autógrafo no livro de receitas, os participantes me pediam.

A ideia do curso, com duração de quatro ou dez horas, é ensinar os participantes a preparar uma alimentação saudável e econômica a partir do aumento do consumo de frutas, legumes e verduras, com utilização integral desses alimentos. Por exemplo, em um dia prepara-se uma abóbora refogada e, no outro, utiliza-se a sua casca em uma salada crocante.  Dessa forma, além da economia, estaremos ingerindo 104% a mais de proteína e 120% a mais de fibras, comparativamente à parte convencional desse alimento, a própria abóbora. Essa maior porcentagem de nutrientes nas partes não convencionais dos alimentos foi verificada por pesquisa desenvolvida no Instituto de Biociências (IB), campus de Botucatu, que avaliou o valor nutricional de 20 espécies de frutas e hortaliças mais consumidas pelos brasileiros.

Longe de ser um dos principais objetivos do programa, porém, em um país que se destaca como um dos campões de desperdício de alimentos (39 mil toneladas por dia) como é o caso do Brasil, o aproveitamento integral de frutas, verduras e legumes, entre outros, destaca-se como uma das formas pelas quais se pode contribuir para a redução desses números.

Desde aquela época, eu utilizo as receitas em casa e muitas delas fazem sucesso absoluto na mesa!

É bom saber que programas como esse ganham força a cada dia e se tornam grandes aliados daqueles que buscam melhorar seus hábitos alimentares e também ajudar o mundo!

Entre em contato com a Nutricionista Bruna Menegassi.

Serviços para você.

Fontes consultadas:

http://www2.sesisp.org.br/home/2006/faq_resp.asp?id=1

http://www.bancodealimentos.org.br/aproveitamento-integral-dos-alimentos/

Você pode gostar também ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Get Widget