Guia alimentar para a população brasileira – 2014

Imagem 306

Pessoal, temos um novo Guia Alimentar para a População Brasileira!! Poderíamos dizer que o mais fantástico de tudo é que ele deixa claro que a nossa alimentação não deve ser reduzida a nutrientes. Há muitas outras questões a serem consideradas.

Ele foi produzido pelo Ministério da Saúde em parceria com o Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da Universidade de São Paulo e com o apoio da Organização Pan-Americana da Saúde, e substitui a versão anterior de 2006.

Uma importante característica do Guia Alimentar é a distinção feita entre alimentos in natura ou minimamente processados e produtos alimentícios, entre produtos alimentícios utilizados para temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias e produtos prontos para consumo e, ainda, entre produtos prontos para consumo que são processados, como pães e queijos, ou ultraprocessados, como ‘macarrão instantâneo’, ‘salgadinhos de pacote’ e refrigerantes.

Destaque especial é dado também às circunstâncias que envolvem o ato de comer, aconselhando-se regularidade e atenção, ambientes apropriados e, sempre que possível, o comer em companhia. Os benefícios são explicados em detalhe no Guia Alimentar: melhor digestão e aproveitamento dos alimentos, controle mais eficiente do quanto se come, maiores oportunidades de convivência com familiares e amigos, maior interação social e, de modo geral, mais prazer com a alimentação.

As recomendações do Guia Alimentar são resumidas em Dez Passos para uma Alimentação Adequada e Saudável:

  1. Fazer de alimentos in natura ou minimamente processados a base da alimentação
  2. Utilizar óleos, gorduras, sal e açúcar em pequenas quantidades ao temperar e cozinhar alimentos e criar preparações culinárias
  3. Limitar o consumo de alimentos processados
  4. Evitar o consumo de alimentos ultraprocessados
  5. Comer com regularidade e atenção, em ambientes apropriados e, sempre que possível, com companhia
  6. Fazer compras em locais que ofertem variedades de alimentos in natura ou minimamente processados
  7. Desenvolver, exercitar e partilhar habilidades culinárias
  8. Planejar o uso do tempo para dar à alimentação o espaço que ela merece
  9. Dar preferência, quando fora de casa, a locais que servem refeições feitas na hora.
  10. Ser crítico quanto a informações, orientações e mensagens sobre alimentação veiculadas em propagandas comerciais.

Para obter uma cópia, acesse: dab.saude.gov.br ou  http://nupensusp.wix.com/nupens#!novo-guia-alimentar

Obs: Meu orientador de doutorado Jean-Claude Moubarac foi um dos colaboradores do Guia!!! E viva o COMO COMER!

Você pode gostar também ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Get Widget