Resolvendo um pequeno pepino

Acordamos cedo e fomos à feira. A ideia era comprar somente mandioca para uma vaca atolada, mas eu não sei o que acontece que, quando vamos às feiras, atraímos os alimentos; quando vimos, uva, abacaxi, açafrão e pequenos pepinos, entre outros, já tinham “pulado” das bancas para nossa sacola.

Antes da vaca atolada, ousei fazer o pepino em conserva. A receita, o próprio feirante me passou: água, vinagre, sal e açúcar, nas devidas proporções. Ferva essa mistura e despeja no pepino já bem lavadinho dentro de um vidro. Dois vidrinhos para mim e um para você, foi assim a divisão que fiz, afinal gosto muito de conservas.

Três dias depois, os pepinos já estavam com um sabor maravilhoso, além disso estavam verdinhos e tenros; e lá se foi um vidro. Uma semana depois, abro o segundo vidro para beliscar uns como entradinha no jantar, como um, dois, três, mas o quarto pepino que mordo, cuspo tudo na pia. O pepino estava rosa, quase vermelho por dentro. Fico tentando imaginar o que seria aquilo. Penso com meus botões de nutricionista e logo me vem à cabeça: contaminação! Seria fungo, bactéria? Me esforço para lembrar das aulas de microbiologia de alimentos: 1) condições ácidas, 2) ambiente anaeróbico (sem ar), 3) enlatados… Procuro ajuda do santo google, afinal aquilo era muito estranho. Lembro-me de uma doença clássica de alimentos enlatados, botulismo, e então digito: alimento contaminado com Clostridium botulinum. Em imagens aparecem diversos alimentos e eis que aparece um pepino em conserva, e mais, um pepino em conserva rosado.

Não consigo dormir, lendo sobre a doença, período de incubação, sintomas. Parece até que eu já estava tendo tonturas e sentia fraqueza.

Durmo pensando em ir ao pronto socorro as 6 horas da manhã. E lá eu estava, com o pepino no vidro para mostrar para todos que me perguntassem. Passo com a técnica de enfermagem, que por sua vez chama a enfermeira e então vem o médico. Conto pela terceira vez o ocorrido. Ele, que era cardiologista, liga para um amigo infectologista, assim na cara dura, me pede dois exames e fala para eu voltar assim que os exames estivessem prontos. Depois de tirar sangue, converso com uma bioquímica e ela diz que é preciso tomar muito cuidado com as conservas caseiras, principalmente com os vidros com tampas enferrujadas. Me sinto uma louca com aquele pepino na mão dentro do hospital e o guardo dentro da bolsa.

-Os exames deram normal, pode ficar tranquila que não é nada. Se você tiver alguma coisa, como paralisia muscular, isso vai acontecer de forma súbita.

O médico querendo me tranquilizar me preocupa mais ainda e já me imagino tendo um treco a qualquer momento em casa, sozinha, tendo que ir de helicóptero para o hospital mais próximo, afinal botulismo é uma doença rara, grave e pode ser letal.

Chego em casa, não estava contente, ligo para um laboratório de análise de alimentos com o objetivo de pagar por uma análise de Clostridium. Começo a contar para a analista o ocorrido. Mal sabe ela a cara de pânico que eu estava do outro lado do telefone. Quando eu termino de contar a história ela me diz:

-Eram esses pepininhos de feira? Ele “tava” rosa porque “tava” maduro.

-Ãh?

pepino rosa-Meu vô planta esses pepinos para conserva e quando eles maduram ficam rosados. Pode ficar tranquila que num é nada não, mas se você quiser trazer para analisar, nós analisamos.

Agradeço, desligo o telefone. Não sei se rio ou se choro. É melhor dar risada mesmo. Eita nutricionista fajuta, que não conhece pepino rosa. Na verdade ele é chamado de mini pepino ou pepino silvestre.

Penso que preciso ir mais às feiras, conhecer a cada dia novos alimentos e me proponho a isso. Acompanhe essa proposta aqui.

O que me conforta nessa história toda é que de cinco profissionais (técnica de enfermagem, enfermeira, médico, bioquímica e analista de laboratório) somente um sabia da existência dessa “iguaria”, ou eu fui muito convincente dizendo que aquela cor era clássica de contaminação pela tal da bactéria…

Agora que o pequeno pepino está resolvido, o que me resta é ir à feira de novo e fazer uma nova conserva!

Você pode gostar também ...

2 Responses

  1. Maria José disse:

    Mino pepino por dentro écrosa. Tem um sabor chocante, porém uma liga. Fresquinho, como pimenta brinquinho- decorativo!!!

  2. Maria José disse:

    Decorativo-como pimenta biquinho. Tem sabor crocante, uma leve liga. Rosinha por dentro, verde por fora. Gostoso!!!! Pensei que havia cortado o dedo ou que estivesse estragadokkkk. Proezas da sabia natureza. Contém mais vit.!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>


Get Widget